Arquitetura clássica “pré-fabricada”

Arqueólogos acabam de encontrar uma construção de cerca de 2.700 anos de idade que apresenta orientações de montagem inscritas em sua própria estrutura. O curioso edifício, uma espécie de precursor dos mobiliários do tipo “faça-você-mesmo”, foi achado na cidade de Satriano, antiga colônia grega no sul da Itália.

De acordo com as características arquitetônicas e decorativas do achado e o tipo de escrita encontrada nele, os especialistas estimam que sua construção remonta ao século VI a.C. Nessa época, a região onde fica Satriano era uma das colônias que formavam a chamada Magna Grécia, conjunto de assentamentos fundados por comerciantes gregos a partir do século VIII a.C.

Originalmente um templo ou um palácio, o prédio é composto por peças identificadas como “masculinas” e “femininas”, o que teria servido para orientar os encaixes da estrutura. Massimo Osanna, diretor do departamento de Arqueologia da Universidade de Basilicata, declarou ao periódico inglês Daily Telegraph que várias inscrições também se referem ao sistema de montagem do telhado do edifício.

Até o momento, cerca de 100 peças contendo essas identificações foram escavadas, revelando o que pode ser o primeiro exemplo de construção pré-fabricada da história.

Qual é a diferença entre pré-moldado e pré-fabricado?

Embora seja comum chamar de elemento pré-moldado todo aquele realizado fora do seu local definitivo, a NBR 9062, norma brasileira que define o projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado, define elemento pré-moldado e elemento pré-fabricado da seguinte forma:

Elemento pré-moldado:
Elemento que é executado fora do local de utilização definitiva na estrutura, com controle de qualidade menos rigoroso, devendo ser inspecionados individualmente ou por lotes, através de inspetores do próprio construtor, da fiscalização, do proprietário ou de organizações especializadas, dispensando-se a existência de laboratório e demais instalações congêneres próprias.

Elemento pré-fabricado:
Elemento pré-moldado, executado industrialmente, mesmo em instalações temporárias em canteiros de obra, sob condições rigorosas de controle de qualidade, sendo inspecionadas as etapas de produção compreendendo em ao menos confecção da armadura, formas, o amassamento e lançamento do concreto, armazenamento, transporte e montagem. Devendo ser registrado por escrito em documento próprio onde estejam claramente indicados a identificação da peça, a data de fabricação, o tipo de aço e de concreto utilizados, além das assinaturas dos inspetores responsáveis pela liberação de cada etapa de produção devidamente controlada.

Portanto, sendo imprescindível a qualidade e segurança na produção estruturas e outros elementos pré-fabricados, a Irmãos Pelegrine possui laboratório próprio, efetuando o rigoroso controle de qualidade descrito acima e garantindo assim a qualidade total de seus produtos.

Pré-moldados e pré-fabricados são opções rápidas para construir

Cada vez mais usado em construções industriais, comerciais e de galpões, o pré-moldado tem ganhado espaço também em obras residenciais. De acordo com o engenheiro civil Rogério Cusinato, as estruturas pré-moldadas geralmente são usadas para reduzir o tempo e mão de obra na edificação, pois esse modo de construção é um processo construtivo rápido e de pouco desperdício. "Podem ser produzidos pilares, vigas, lajes, paredes, telhas, entre outros", explica.

Em obras residenciais, o engenheiro explica que, como a construção "tradicional" é artesanal, demanda muita mão de obra, enquanto no pré-moldado as peças chegam prontas e são montadas com máquinas. Devido a isso, construir com pré-moldados é mais rápido. Porém, ele alerta que, se a área a ser construída for muito pequena, o valor dessa forma de construção pode sair mais caro.

A aposentada Maria Amélia Guimarães optou pelo pré-moldado ao construir, há cerca de um ano. Ela conta que decidiu fazer a obra desta forma pelas facilidades, como rapidez e limpeza após a construção, já que o pré-moldado deixa poucos resíduos.

O engenheiro Rogério afirma que, em geral, não é preciso ter cuidados especiais com construções pré-moldadas, pois as estruturas são normatizadas dentro dos padrões de qualidade e segurança, mas que é sempre bom verificar se existe algum tipo de patologia. Maria Amélia conta que não teve que se preocupar com isso. "Tudo ficou por conta da empresa construtora, desde a sondagem de solo até o levantamento das estruturas".

Segundo Rogério, o valor do pré-moldado pode variar bastante em função das características da obra, mas o valor estimado por metro quadrado fica entre R$ 500 e R$ 800.

A aposentada diz que não se arrepende de ter optado por essa forma na hora de construir. "Não vi desvantagem nenhuma", afirma.

Pré-fabricado também é versátil
Além do pré-moldado, existem também os pré-fabricados, que são igualmente versáteis e também agilizam o processo de construção. Ambos devem atender padrões e especificações técnicas, mas, segundo Rui Guerra, diretor da Premodisa, que produz pré-fabricados, a diferença entre os dois materiais é que os elementos pré-fabricados em concreto são produzidos industrialmente e o pré-moldado é produzido dentro do canteiro de obras.

O pré-fabricado também proporciona prazos reduzidos e qualidade na obra. Rui afirma que esse sistema atende desde residências até prédios multipavimentos.

As vantagens em optar por esse tipo de construção são diversas. "Como a construção dessas peças é realizada dentro de uma indústria, é possível ter total controle da qualidade, resistência, dimensões e acabamentos. No canteiro de obra, o uso do pré-fabricado diminui, drasticamente, a mão de obra, o desperdício de materiais, elimina a geração de entulho, promove maior organização e reduz o tempo de obra, além de garantir o rápido retorno do investimento. Outra vantagem do pré-fabricado em concreto é que os custos não sofrem alteração no decorrer da obra".

Segundo Rui, o pré-fabricado reduz em cerca de 25% o tempo de obra, devido à execução simultânea das etapas de fundação e fabricação.

Rui afirma ainda que as peças possuem um rigoroso controle de qualidade e especificações, mas recomenda a aplicação de produtos que protejam a superfície, no intuito de se evitar a penetração de impurezas, que, ao longo do tempo, possam prejudicar a aparência.

Fonte: G1